sábado, 1 de novembro de 2014

Para quem não entendeu... 10.000 explicações


Existem no Brasil e no mundo mais de 500 Corridas de São Silvestre, sim, CORRIDAS, com inscrição, chips, percurso aferido, números de peito, medalhas, campeões, troféus e premiações.

Existem na cidade de São Paulo mais de 50 treinos preparatórios ou simulados ou qualquer nome que seja de São Silvestre(sim, todos tem o nome do Santo), mas são treinos, sem chip, sem número, sem premiação, sem campeões e sem trânsito fechado ou percurso previamente delimitado. A grande maioria além de serem gratuitos arrecadam roupas, alimentos, brinquedos para instituições carentes. O também já tradicional treino organizado pela ATC(associação dos treinadores de corrida) cobra um valor para ajudar no apoio e hidratação pelo percurso.
 
Entendido até aqui? Vamos continuar.

Entre tantos treinos com o nome do Santo do dia 31/12*, no ano de 2011 aconteceram uns que protestaram contra as mudanças no percurso da tradicional corrida, mudanças inexplicáveis que favoreciam o organizador e prejudicavam os corredores, tornando a prova mais perigosa, com maior risco de lesão e com uma logística simplesmente impossível para os corredores e principalmente para seus familiares que gostam de prestigiar essa famosa corrida e seus guerreiros fantasiados.

Sexta-feira, 31 de outubro de 2014 - Último dia do mês. Vem #Movember

Para comemorar o fim de Outubro, e a chegada de novembro que em seu dia 1° celebra o Dia de Todos os Santos, sugiro que assistam o vídeo abaixo, de um treino ocorrido no dia 02 de novembro de 2011. O nome do treino era e sempre será São Silvestre na Paulista. (também tem o nome do Santo)

 
Esse treino acontecido no dia 02/11/2011(dia de finados, combinou com a morte da tradição) teve inclusive a ilustre presença do Senador da República Eduardo Suplicy entre tantos(nem tantos, só 300, nem 1% como vimos no vídeo) corredores,  jornalistas e foi amplamente divulgado nas principais emissoras de TV do país, como SBT, Cultura e ESPN Brasil(matéria acima). Quem foi após o treino tomar um café na padaria pode encontrar com o organizador da tradicional corrida no mesmo local, uma coincidência realmente muito grande já que esse treino teve grande repercussão prévia.



E, 10 dias depois aconteceu o treino São Silvestre Cover que era somente um simulado como qualquer outro, mas com a mudança do percurso passou a ser um treino diferente e único homenageando um percurso  histórico e que já não existia mais. Ou seja, além de não ser uma corrida, não foi corrido e nunca será percorrido pelo percurso inventado em 2011, é e sempre será, com ou sem nome do que quer que seja, uma confraternização para correr por ruas históricas e importantes como a Consolação, Minhocão quando está fechado para carros, Ipiranga, São João, Teatro Municipal, Viaduto do chá, Brigadeiro e avenida Paulista.

Após esses fatos todos, A Fundação Cásper Líbero, detentora da herança de seu fundador Cásper Líbero resolveu chamar a polícia acusando esse que vos escreve como criminoso por ter corrido na rua com amigos. Essa intervenção policial não deu procedimento por não ter acontecido crime de qualquer espécie. Não contente com essa negativa, a mesma Fundação através de seus advogados entraram com um Processo reclamando a marca São Silvestre como sendo dela e me acusando de ser organizador de corrida concorrente a dela, algo que desafio qualquer pessoa desse planeta a provar.

DESAFIO LANÇADO: Prove que o Sr. Antonio C R Colucci em algum momento de sua vida tenha ORGANIZADO UMA CORRIDA. 

Resumindo para não ficar muito chato e cansativo. Como todos viram na matéria do jornal Folha de São Paulo, o corredor Antonio Colucci foi condenado por ter corrido na rua com amigos, e por ter protestado contra mudanças que interferiram simplesmente na tradição da maior corrida do país e que poderiam machucar gravemente os corredores e cadeirantes, fato que INFELIZMENTE veio a acontecer no segundo ano desse percurso.

Agradeço o apoio de tantos amigos e até de não amigos, mas que são conscientes sobre o absurdo acontecimento. O processo é público e pode ser consultado por qualquer pessoa.

Em 1ª instância a condenação foi de "pasmem" R$ 100.000,00 e a Fundação entrou com recurso pedindo mais R$ 100.000,00 alegando "danos materiais" sofridos pela existência da "minha corrida cover"(????).

Felizmente em 2ª instância esse absurdo nem foi levado em conta, caso contrário eu gostaria de entender onde estão esses "danos materiais" se as inscrições para a corrida da Fundação esgotam com muita antecedência (só lucro e nenhuma perda) e eu não obtive qualquer lucro com essas manifestações ou treinos. Aliás, estou tendo alguns anos de muito prejuízo mental em conviver com tamanha mentira. 

Em todos esses treinos, com ou sem protesto, nenhum bem público ou privado foi depredado, ninguém teve qualquer tipo de problema e muitas instituições carentes e beneficentes foram ajudadas com as doações dos participantes. Saber que a corrida uniu tantas pessoas do bem para fazer o bem é mais valioso que qualquer processo, valor ou xingamento de pessoas doentes que se escondem atrás de identidade falsa da internet.

As perguntas que nunca foram respondidas, nem mesmo nessa nota da assessoria de imprensa da  Fundação Cásper Libero para a Folha de São Paulo são simples:

- A Sua Santidade, o Papa Francisco ou seus antecessores autorizaram o uso do nome Santo como marca EXCLUSIVA, e os fiéis ao Santo, como ficam? Nem a lei brasileira permite conforme o art. 124, "XIII da LPI diz que não são registráveis como marca: nome, prêmio ou símbolo de evento esportivo, artístico, cultural, social, político, econômico ou técnico..." e os indeferimentos no site do INPI para os pedidos de registro do nome do santo em questão.
 
- Por que somente esse treino com o nome do Santo foi notificado e processado?  Se existem tantos outros que tem o nome do Santo e correm o percurso de acordo com o que for acontecer no último dia do ano, inclusive são filmados e comentados por "especialistas"?

- Por que o então senador Eduardo Suplicy não foi notificado e processado por ter participado e levado a questão para o Senado Federal no dia 03/11/2011? Por que ele e os outros 300 não foram intimados a comparecer em uma delegacia de polícia por terem corrido na rua? E as matérias veiculadas na televisão, até na TV Senado apareceu, por que não foram processadas?

- Por que só o mais fraco de toda essa história é obrigado a conviver com esse inferno a tanto tempo? Viver esperando que a justiça seja feita, que as peças sejam lidas, que uma audiência seja marcada com acareação entre as partes e exposição das provas para que a verdade possa VENCER.

- Por que os Back Blocks(ou qualquer outra turma, facção ou sei lá o que, é só um exemplo tosco) que quebram a cidade, atrapalham todo mundo espalhando o terror não são punidos, e quando por acaso são detidos, não pagam nada e nem respondem pelos atos criminosos e de vandalismo praticados, registrados e comprovados?

- A Corrida da Virada de São José dos Campos ia chamar São Silvestre Joseense em sua primeira edição em 2011, receberam uma notificação que o Santo tinha dono e para evitar essa batalha cansativa e absurda mudaram o nome da corrida. Quem participou da 1ª edição tem a camiseta e medalha com o nome do santo(estavam prontas antes da notificação chegar).

E o que dizer dos "amigos"(?) que brigaram por essa causa e quando ficaram sabendo do processo e afins saíram para comemorar a volta da chegada da corrida para a Avenida Paulista, o horário mais cedo(sugestões que fizeram parte dos protestos e foram acatadas no ano seguinte) e até esqueceram/relevaram a ladeira do Pacaembu em "nome da tradicional chegada" e ....

Eu convivia com isso acreditando na justiça, comentava com amigos e parentes que contra os fatos não existiam argumentos, mas parece que contra os fracos(não necessariamente de força, se é que me entendem) não existe a vontade de se fazer a justiça.

Acabou outubro, já é dia 1°, dia de todos os SANTOS, vou torcer para que nenhum outro Santo seja adquirido sem a devida autorização do Santo Papa.

Fui criado em família católica, apostólica, romana, estudei em colégios católicos, fui coroinha e nunca ninguém me ensinou que algum santo podia ter um dono.

Me tornei corredor e a lembrança que sempre tive foi de ver uma corrida na virada do ano pela televisão, essa corrida que foi meu primeiro desafio solo, que foi a minha primeira satisfação pessoal, essa mesma corrida que pude reviver um momento mágico de correr junto e homenagear o brasileiro que depois de uma hegemonia de mais de 30 anos dos gringos levou o Brasil ao lugar mais alto do pódio em 1980.

A nossa grande homenagem foi manchada por essa alteração de percurso, mas a felicidade de realizar um sonho de criança, de poder correr na minha cidade chegando a meia-noite ao lado de muitos amigos e um super campeão foi possível realizar e registrar.
Isso não tem preço, nem processo que vai apagar.

Saiba como foi ou relembre assistindo a matéria do Vamos Correr da ESPN Brasil no vídeo abaixo.

Esse treino também tinha o nome do Santo, também foi uma homenagem e também foi sensacional...


Faltaram algumas explicações para chegar as 10.000, mas para não ficar muito MAIS cansativo, ficamos por aqui aguardando as cenas dos próximos capítulos.

Só para deixar bem claro, visto que a maioria dos corredores não sabe e nem imagina,  a Yescom que é organizadora dos kits e da prova do último dia do ano, não tem nada a ver com esse processo.
Como consta nas primeiras linhas do regulamento dessa tradicional corrida desde 2012, TUDO referente a essa corrida é de posse da Fundação Cásper Líbero, o nome do santo inclusive(???). 

Já aviso que todo e qualquer comentário de fake aqui ou no meu espaço do facebook será apagado sumariamente, mesmo que sejam declarações de amor. Quem cria perfil Fake devia criar vergonha na cara e procurar um psiquiatra. Deve ter cura. Eu acredito na cura assim como acredito na justiça.

E os corredores que quiserem correr dia 31/12/2014 a São Silvestre de graça, as inscrições para a 50ª edição da São Silvestre de Franco da Rocha estão abertas e podem ser feitas pelo site:  http://www.chiptiming.com.br/eventos/50saosilvestrefrancodarocha

Curta a página do blog no facebook e fique por dentro de muito mais sobre corridas: Facebook.com/CorridasColucci13

Siga no Twitter @antoniocolucci, no Instagram @antoniocolucci_13 , no BLOGGER e YOUTUBE
 





#aisim Colucci13 
    Twitter: @antoniocolucci 
 Instagram:@antoniocolucci_13

3 comentários :

Fábio Namiuti disse...

Muito bem explicado, Colucci. Só uma pequena correção: a primeira edição da prova do dia 31/12 em São José dos Campos efetivamente se chamou São Silvestre Joseense. Como foi uma prova bem pequena, com poucos concluintes, não incomodou e nem chamou atenção. A segunda edição, em 2012, é que, com todo o material já pronto, inclusive medalhas, camisetas, pórtico, panfletos, etc. é que foi notificada e se viu obrigada a mudar de nome para Corrida da Virada Joseense. Cresceu, passou a reunir boa parte dos corredores da região que tinham como única alternativa na data a outra prova mais famosa e, por esse motivo, é que se tornou a única corrida a precisar fazê-lo.

Marildo Nascimento disse...

Entendo que o fato de ser chamado de Corrida é que faz com que os organizadores se digam donos desse nome entretanto só o fato de se chamar Treino ou mesmo Virada de São Silvestre já modifica a situação e não a torna igual. Penso que se o Treino se chamasse apenas SS já não seria igual a final as tropas de Hitler também eram chamadas de SS e não foram processadas e nem processaram os organizadores da famosa Av. Paulista. Que os juízes pensem nisso!

Ptah disse...

Ainda é passível de recursos a seu favor?